Este é o meu portefólio digital da disciplina de Educação e Tecnologias Multimédia do Mestrado em Supervisão Pedagógica em Ensino do Português, uma forma de partilhar as aprendizagens realizadas nesta disciplina...Acompanhem a turma dos SUPER!!
Segunda-feira, 24 de Julho de 2006
E-Learning: conceitos, vários desafios, múltiplas vantagens
Em jeito de conclusão das pesquisas para este meu portefólio digital, reflectirei sucintamente sobre uma temática perfeitamente relacionada com a disciplina e, porque bastante actual, muito pertinente. Nas minhas múltiplas “aventuras” e “viagens” pela WWW deparei-me com expressões como “e-learning”, “ensino à distância”, etc. E nesta última semana, nas minhas pesquisas para os trabalhos finais das outras disciplinas do mestrado (que tão arduamente tenho vindo a realizar, sem um tempinho sequer para pôr os pezinhos na minha muito amada praia) encontrei no RepositoriUM dois textos da nossa ilustre super-professora Maria João. São eles Desafios do E-Learning: do conceito às práticas e E-Learning: reflexões em torno do conceito.
Não resisti à curiosidade, encostei um bocadinho o relatório do seminário de Estudos Linguísticos e dediquei este domingo a aumentar o meu conhecimento sobre mais uma questão em torno da Internet e da Informática.

Notei que a definição de e-learning não é consensual, sem que isso signifique que aqui importa problematizar o conceito; pelo contrário, essa ausência de consenso poder-nos-á levar a considerar que o conceito é, ele próprio, multifacetado, com vantagens visíveis e viabilizado quanto mais for possível responder aos desafios que se lhe coloca.

Nesta medida, assinale-se que a utilização que a nossa turma de mestrado fez da plataforma Moodle não corresponde, digamos, ao conceito mais puro de e-learning. A nossa combinação da tecnologia com o contexto de aula semanal permitiu antes uma “extensão virtual da sala de aula presencial”, onde pudemos consultar documentos disponibilizados pelos colegas e pela professora e estabelecer uma colaboração e uma partilha das aprendizagens que foram sendo alcançadas.

Mesmo prevendo uma quantidade e uma diversidade de recursos, uma partilha de experiências, sendo centrado na aprendizagem e aliando a Internet à interacção (não presencial), o carácter administrativo dos cenários do e-learning é uma característica muito intrínseca, pois permite a gestão espacial e temporal dos momentos e dos espaços de aprendizagem. Se pensarmos que nem todos os estudantes têm a possibilidade de se dedicarem a full time aos seus estudos e à permanência no campus, então o e-learning tem um elevado grau de aplicabilidade, tanto mais alcançado quanto as instituições souberem dar resposta aos desafios de infraestruturas e apoio, gestão, competências e reconhecimento profissional de quem se implica neste processo e, finalmente, dos recursos pedagógicos e dos conteúdos. Fiquei fã!!!


sinto-me:

publicado por superjoana às 01:11
link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito

Ainda a pesquisa na Internet

A realização das webquests suscitou-me algumas dúvidas sobre a pesquisa de informação na Internet. Assim como é nossa função, na escola, enquanto professores, ensinar aos alunos métodos e técnicas de pesquisa bibliográfica, também, pensei eu, nesta nova era da tecnologia e do hipermédia, há que auxiliar os alunos na busca de informação na web.

É verdade que a Webquest é uma estratégia de pesquisa orientada com vantagens significativas, mas, na verdade, não podemos passar toda a escolaridade a desenvolver a capacidade de pesquisa na web a partir da mesma estratégia pedagógica. Para além disso, a maior parte dos alunos já tem meios de, a partir das suas casas, aceder a esse mundo do hipertexto, muitas vezes sem qualquer tipo de supervisão.  

Reunidos estes motivos torna-se fácil perceber a razão pela qual um trabalho de desenvolvimento de habilidades de pesquisa com recurso, por exemplo, a motores de busca pode encontrar lugar nos espaços curriculares. E com tal pretendo defender que aperfeiçoar estas competências não deva ser tarefa exclusiva do professor de TIC ou de Língua Portuguesa, mas antes de todos, na medida em que a pesquisa é um tipo de actividade transversal e que, por isso,  só ganha quanto mais for incrementada.

O texto A pesquisa na Web através de ferramentas do motor de busca Google (Carvalho e Pereira, 2005), fornecido pela nossa professora é, do meu ponto de vista, um excelente instrumento de trabalho para todos os professores dos Ensinos Básico e Secundário que estejam atentos às lacunas que os alunos apresentam neste domínio e que, assim, queiram desenvolver, nas suas aulas, um trabalho de orientação sobre as formas mais eficazes de busca de informação credível, actualizada e segura na Internet.

Todos nós sabemos que a World Wide Web tem grandes potencialidades em diversos níveis, nomeadamente no acesso a informação e a conhecimento de forma bastante rápida e gratuita, contudo, devemos ser também conscientes dos perigos que encerra, especialmente para os mais novos. É deste modo que, na função de educadores, não podemos "tirar-lhes o rebuçado", mas antes orientá-los no saborear desta nova "guloseima" dos tempos contemporâneos... 


sinto-me: GULOSA!!

publicado por superjoana às 00:00
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito

mais sobre mim
pesquisar
 
Julho 2006
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

25
26
27
28
29

30
31


posts recentes

E-Learning: conceitos, vá...

Ainda a pesquisa na Inter...

Webquest...FINALMENTE!!

Amiguinhos do Moodle

Dos Portefólios aos Blogu...

A Tecnologia ao serviço d...

Blogues na área da Educaç...

Criação do blogue-fólio

arquivos

Julho 2006

Maio 2006

Março 2006

links
blogs SAPO
subscrever feeds